terça-feira, 8 de novembro de 2016

QUANDO VOCÊ PERCEBE...

Quando você percebe que os acontecimentos a sua volta envolvendo a sua pessoa indiretamente ou diretamente acontecem em desacordo com sua vontade é porque de alguma forma seja proposital ou não: Você errou!...

Não se pode abalar, muito menos conturbar mais os fatos ou deixar se levar por eles.

Mas sim, silenciar os pensamentos negativos e as palavras vãs provocadas pelo ego ferido e buscar o equilíbrio emocional necessário, para que em paz possa fazer um analise profundo sobre si e os acontecimentos. Neste ponto é necessário analisar a sua atuação diante de todos os fatos.

Após uma reflexão saudável e meditações profundas, forme sua opinião sem maculas ou tire suas conclusões da mesma forma.

Então comece agir para que os eventos destes acontecimentos estejam no mínimo próximos do planejado e que estejam em acordo com a verdade real ou mais próximo disso possível.

Com certeza não pode se crucificar pelos erros cometidos e muito menos chorar no “muro das lamentações”.

O perdão e o auto perdão é uma ótima saída desde que a atitude seja sincera.

Caso seja impossível reverter algumas situações, tem de relaxar e usar este erro como ferramenta de aprendizado.

Muitas das vezes não se é o agente provocador dos fatos tomarem rumos diferentes ou negativos. Mas, a passividade diante dos fatos vai torna-lo autor.

Se quiser ser bem sucedido em seu cotidiano e principalmente em sua vida, deve deixar de ser mero expectador da própria vida. Sair da mesmice e da ignorância de jogar a responsabilidade para outro.

Sem dúvida alguma, os frutos que hoje colhes e resultado da semeadura de ontem. Portanto, uma atitude positiva, sem maledicências, com pensamentos construtivos, palavras saudáveis, com certeza, colheras frutos de bons acontecimentos.

Nada mais verdadeiro que o ditado popular que diz:

“Errar é humano, persistir no erro é burrice”.


CARLOS AUGUSTO DE SOUZA



sexta-feira, 16 de setembro de 2016

PARECE NORMAL...


No Brasil parece que desvio do erário público é coisa normal. E não é o povo que é medíocre e que tem esta ótica, mas sim, a ignorância deste. Tendo em conta que ele é alimentado de todas as formas (social, educacional, cultural, etc.) pelas tradicionais oligarquias políticas coronelistas/viciadas e ou pela política bolivariana instalada no Brasil e na America latina. Por sinal em plena decadência.

O maior desafio para nos brasileiros é ter de nos reeducarmos politicamente e termos a consciência dos valores reais da ética, do civismo, da moralidade, etc. E baseado nestes valores, recriar o sistema legal e de direito brasileiro.

Pois ao longo destes últimos anos muito desses valores se perderam se institucionalizou a corrupção no sistema político administrativo em nosso país.

Se quisermos mudar algo o primeiro passo é não adotarmos estes tipos de políticos retro mencionados em nossos pensamentos, palavras e ação. Pois, tudo começa em nós dessa forma.

Para finalizar e resumir, apesar de tudo, o que não podemos em hipótese alguma mudar é:

“Quem desvia e se beneficia do erário publico ilicitamente é corrupto. E lugar de corrupto é na cadeia”.



CARLOS AUGUSTO DE SOUZA

terça-feira, 9 de agosto de 2016

“AS COISAS VÃO ACONTECENDO...”

O processo eletivo municipal iniciando e as coisas vão acontecendo. Os vereadores e demais políticos que estavam desaparecidos voltaram ao cenário da vida como um milagre!

Os “boletins de ocorrências” de desaparecimento registrado pelos munícipes tornaram sem efeito.

E junto com eles abriram se os armários lotados de promessas de dias melhores e de projetos surpreendentemente formidáveis!

Os vidros escuros dos veículos agora estão abaixados. E as mãos gesticulando os “tchauzinhos” já conhecidos muito bem pela população. E isto parece nado sincronizado quando eles estão em mais de um no veículo.

Alguns não estavam desaparecidos, no entanto, estavam com pele de cordeiro no seio das comunidades “pagando” de bom samaritano. Agora tiraram a pele e deixaram a mostra a astucia e a voracidade do lobo.

Então, estes últimos agora relembram suas atividades quando estavam no poder. Com isto, mostram sua verdadeira personalidade “coronelista” e maquiavélica, com ameaças veladas e promessas vãs.

O mais interessante que eles se acham mais inteligentes que as demais pessoas que estão no processo político. Até parece que Maquiavel era aluno deles.


 Isto tudo seria cômico se não fosse trágico! Uma realidade contundente e infeliz no processo evolutivo da sociedade.

O que podemos fazer para mudar este processo?...

Esta é uma historia que tem continuação... Pois as "coisas"vão acontecendo...


CARLOS AUGUSTO DE SOUZA

segunda-feira, 23 de maio de 2016

SILÊNCIO PROFANO

SILÊNCIO PROFANO


Enquanto me calo o silêncio vai falando por mim.

Com o meu silêncio muitas verdades ficam ocultas.

Muitos sonhos não viajam nas palavras que o vento leva.

Com meu silêncio os covardes se tornam valentes e os valentes silenciam de seus atos de bravuras.

Com meu silêncio o tempo não para e a vida continua.

 Com meu silêncio nada acontece.

 Nem você vem para perto de mim.

Com meu silêncio não escuto as musicas suaves de cantos mil.

Com meu silêncio somente ouço a voz de meu consciente tentando adormece meu inconsciente.

Com meu silêncio já não ouço mais você.

Com meu silêncio nada mais faz falta para mim a não ser a solidão.

Com meu silêncio as palavras outras já não são audíveis.

Com meu silêncio já não me encontro mais aqui.

Com meu silêncio vejo a minha volta a vitoria da ignorância.

Com meu silêncio sem a oração do coração, vivo o magistério da compreensão tola.

Com meu silêncio não compreendo o grito dos náufragos.

Com meu silêncio estou a voltas com uma multidão sem voz.

Com meu silêncio já não vejo mais você.

Com meu silêncio tudo acaba nas mais tolas palavras.

Com meu silêncio já não existo naquilo que busco.

No meu silêncio tudo é a mais pura ilusão.

No meu silêncio deparo na escuridão das vozes que não falam.

Com meu silêncio já não sinto você.

No silêncio tudo acontece e nada existe... Tudo vive e nada é... A voz é muda e nada muda...

Tudo vive ou morre e nada acontece neste silêncio profano!


CARLOS AUGUSTO DE SOUZA